× G&A Comunicação

blog

O uso de dados na estratégia de comunicação

14/02/2020

O uso de dados na estratégia de comunicação

O USO DE DADOS NA COMUNICAÇÃO É UM RECURSO INDISPENSÁVEL PARA EMPRESAS QUE BUSCAM MELHORAR PERFORMANCE E ZELAR PELA BOA IMAGEM. COM O AUXÍLIO DA TECNOLOGIA, É POSSÍVEL DISPOR DE UMA GRANDE DE QUANTIDADE INFORMAÇÕES, CRUZÁ-LAS E APONTAR INSIGTHS.

Dados do cliente embasam a estratégia

O primeiro ato de qualquer agência de comunicação corporativa quando inicia um trabalho no cliente é – ou pelo menos deveria ser – fazer uma imersão. E isso não deve se limitar a ouvir do contratante aquilo que ele entende ser a real necessidade de comunicação da sua companhia. Tão importante quanto entender os anseios do cliente é levantar e cruzar os dados que circulam na empresa.

Costumamos dizer aqui na G&A que quando se mapeia o sentimento do usuário com dados é mais do que meio caminho andado para o êxito de uma estratégia de comunicação. Isso pode ser feito por meio de diferentes ferramentas. CRM, pesquisa de satisfação, monitoramento em redes sociais, SAC, gestão operacional dos trabalhos, BI, inteligência artificial contribuem para se fazer uma radiografia de como está posicionada uma companhia no mercado.

Usar dados com inteligência para gerar insights

Com a tabulação dos dados coletados dentro da empresa, transformados em insights por especialista em business intelligence, aí sim a agência poderá desenvolver diagnósticos certeiros de como trabalhar de maneira efetiva alinhada ao objetivo do negócio. Veja algumas vantagens de usar dados na estratégia de comunicação:

  •  Trabalhar com uma grande quantidade de informação

Em artigo publicado no site da Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial), Fabiane Klafke, diretora de Inteligência da Otimifica, parceira da G&A, ressalta que a tecnologia possibilita que se tenha acesso aos dados em maior volume, de forma mais rápida e organizada. Esse grande fluxo de informações, quando analisado por algoritmos de big data, produz insights que podem embasar estratégias de comunicação e de negócios.

  • Prever tendências

A análise dos dados produzidos pelos usuários na internet permite que a empresa identifique em qual produto, serviço ou plataforma está sendo mais buscada. Tendo conhecimento dessas tendências é possível dirigir seus esforços, tomar decisões antecipadas para se adequar aos novos cenários e remanejar recursos.

O mapeamento de temas e sentimento do usuário permitem identificar quais assuntos estão em alta e o que o seu público pensa sobre isso. Assim, a marca pode produzir conteúdo sobre assuntos que estão crescendo em importância para o seu público ou mostrar que já segue práticas consideradas relevantes por ele (apoio à diversidade ou proteção dos dados dos usuários, por exemplo).

  • Mensuração e monitoramento mais assertivos

“Isso é o que está trazendo mais valor ao trabalho de relações públicas: podermos mensurar o resultado de ações de comunicação e monitorar em tempo real o impacto delas tanto para os negócios quanto na construção de uma reputação de forma mais consistente”, afirma Fabiana.

Com o uso de dados em comunicação, é possível calcular o alcance de uma ação, o índice de conversão e quem foi impactado, por exemplo. Isso torna as ações mais precisas (alcançando o público considerado estratégico)  e econômicas (pois não se gasta com mídia desnecessária nem com as custosas pesquisas de mercado que se fazia antigamente).

desenho de pessoas diante de gráfico e tabelas - uso de dados na estratégia de comunicação

  • Trazer resultados que impactam diretamente o negócio

Já não existe mais o o tempo que um eficiente trabalho de comunicação corporativa se restringia à produção de press-release e media training para que o cliente comunicasse bem o seu recado para a mídia. Em paralelo a esses serviços básicos, porém ainda necessários, a agência de comunicação corporativa deve agregar inteligência: monitorar as informações disponíveis que possam afetar a reputação do cliente e agir estrategicamente com base nesses insights.

Na G&A, atuamos como parceiros no negócio do cliente e não como um mero prestador de serviço. Trabalhamos com base em dados para detectar pontos sensíveis ou que merecem ser explorados. Isso contribui para a melhoria da performance do cliente como um todo, não só em comunicação.

Uso de dados exige mudança das agências

Esse movimento é uma mudança de mindset. No caso das agências, a obrigação de dispensar atenção para os dados de negócios e não apenas para a estratégia de comunicação. “O objetivo é ter um melhor entendimento do que se vende – seja uma causa, um produto ou um serviço”, ressalta Fabiana.

O que se espera hoje de uma organização empenhada em cuidar da sua reputação e maximizar seus resultados e das agências de comunicação que prestam serviços é que se use os dados disponíveis com inteligência, combinando ferramentas e usando os insights para embasar a estratégia.